terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Desafios de Obama

Barack Obama vai passar por dois testes de peso logo no início de seu governo. Um deles, como não poderia deixar de ser, vai medir sua capacidade de adotar medidas cirúrgicas para estancar os efeitos da crise na economia americana. Nesse ponto, não se espera nada mirabolante, até porque nenhum presidente eleito deseja bater de frente com seus financiadores logo no início do mandato.

O segundo teste, no entanto, é o que vai medir se realmente Obama é um líder mundial, idéia que vendeu durante toda a sua bem estruturada campanha. Seria ele mesmo um internacionalistas?

No meio do caminho o barril de pólvora do mundo Árabe e o conflito sangrento em curso entre Israel e Palestina.

Impressionaria se, ao contrário de Bush, viesse a intervir no conflito. Garanto que o envio de tropas para a região, em ação articulada com a ONU, seria bem mais proveitoso do que pilhar o Iraque e o Afeganistão.

Leia-se proveitoso como imagem. Se visar lucro financeiro continuará seguindo a "herança maldita" de Bush.

É esperar para ver.

domingo, 28 de dezembro de 2008

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Sindicato de Porra

Recebi neste fim de ano uma mensagem muita animadora do Sindicato dos Jornalistas Profissionais (existe sindicato de jornalistas não profissionais?) do Distrito Federal. No assunto do e-mail a seguinte palavra: Porra. Para que não achem que estou mentindo, segue o cabeçalho da mensagem:

Porra‏
De: SJPDF (sjpdf@sjpdf.org.br)
Enviada: sexta-feira, 12 de dezembro de 2008 3:53:39
Para: Diógenes SIlva Botelho (
diobotelho@hotmail.com)

No corpo do e-mail, um informativo do sindicato falando sobre a última edição do projeto Barracão do Samba, no Clube da Imprensa, e sobre uma festa Cubana no Café da Rua 8.

Que porra é essa?

Foi essa minha resposta do e-mail para o sindicato.

Além de me levar 50 paus por mês, chega no fim do ano eles me mandam porra. Fiquei com vontade de xingar mais. Porém me contive em devolver a porra.

Eles me responderam afirmando que foi um erro, que a mensagem não era para ser enviada.

Muito esclarecedor esse sindicato porra-louca.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

A cobrar de Deus

Fim de ano, hora de vasculhar gavetas e arrumar a papelada. É sempre uma surpresa. Levo a maior parte do tempo relembrando as histórias que os papéis remetem. Hoje me transportei para Palmas, capital do Tocantins, cidade em que morei durante pouco mais de dois anos. Lá, meu filho nasceu.

Época de pendura braba, dois empregos e dinheiro contadinho. Meio de transporte? Era no carcanho, debaixo de um sol de 40 graus.

Vez por outra me dava ao luxo de chamar um mototaxi, serviçinho muito popular na região. O Paulinho era meu chofer, até porque aceitava chamadas a cobrar (repara no cartão).

Hoje dei risadas. A propaganda do cara dizia, abaixo da frase "Aceitamos chamadas a cobrar", o seguinte: "Nós confiamos em Deus".

Não sei se confiavam que o Senhor pagaria as ligações ou se era pura fé para sairem ilesos das corridas.

O fato é que o Paulinho era o que pode se chamar de piloto do capeta. Pelo menos ele confiava em Deus por mim, que sou ateu.

Juro que várias vezes pensei em botar a corrida na conta do Todo Poderoso.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Invasão alienígena

Minha casa foi invadida por criaturas estranhas.

Ao acordar, lavava meu rosto quando, ao puxar uma remela, me deparo com um sapo em cima da pia.

Esfreguei os olhos e mirei o espelho, devia estar sonhando. Eis que outras duas criaturas me tomam a vista. Uma lula com pernas e um pinheirinho vivo!

Sai correndo do banheiro, devia mesmo estar maluco. Liguei a televisão para me certificar se alguma emissora estava noticiando a invasão alienígena. Do lado do aparelho mais um ser bizonho. Cabelos amarelos espetados e sorriso enigmático.

Virei para o computador, algo sobre o fenômeno poderia estar circulando pela internet. Enquanto esperava a máquina iniciar, olhei para o lado e me deparei com outras criaturas animadas na mesinha da impressora.

Achei melhor tomar um copo d’água para acalmar. Já mirava a torneira quando me salta um elefante de cima da pia.

Não pode ser, não pode ser! Devo ter pirado! Um elefante em cima da pia!!!

O descontrole tomava conta das minhas idéias.

Sigo até área de serviço. Meu Deus! Deixaram uma pistola laser em cima do botijão de gás!

Cambaleando, me apóio no microondas. É aí que começo a ter uma pista do que estava acontecendo.

Caixinhas suspeitas na bancada da cozinha. Já dá para ligar as coisas...

Vi embalagens parecidas dia desses, acho que na minha adolescência.

Corro até o quarto de meu filho para ver se ele está a salvo.

Nem sinal do moleque. Fico nervoso, olho para cima.

Avisto as prateleiras e...

...CAI A FICHA.

Pedroooooooooooooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!

Vai guardar os brinquedos guri!

Mangas e jacas

Pedro Augusto chegou em casa hoje com uma sacola com 17 mangas. Férias e brincadeiras pela quadra alimentam não só a alma. Saudades de meus tempos de infância que revivo agora com os sete anos de pura travessura de meu filho.

Não duvido que amanhã ele me traga uma jaca. Já confessou que está de olho num pé ali da esquina.

E não é que Brasília ainda guarda "um pouco" de cidade pequena.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Sapateado

Tá rolando na internet um joguinho interessante para os apreciadores de sapateado. É uma técnica totalmente nova, que virou moda no Iraque. Clique aqui e entre nessa nossa onda.

Até tu vice?

Agora ficou mais difícil para o presidente Lula usar de sua tradicional desfaçatez para minimizar os efeitos da crise financeira no Brasil. Com a empresa Coteminas, de seu vice José Alencar, mandando 3 mil trabalhadores para casa é complicado argumentar que "não sabia" o que estava acontecendo com o setor produtivo. Mas do jeito que a coisa vai, é capaz do presidente ainda tentar tirar proveito da notícia com o seguinte argumento: "Estão vendo? No meu governo não tem ninguém privilegiado."

Cabia retrucar: "E o Lulinha, como vai?".

E também: "Onde estão as medidas para proteger o trabalhador das demissões?"

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Servicinho da Justiça

Não há dúvida que o amplo direito de defesa é uma conquista da democracia. Triste eram os tempos em que o cidadão não podia se resguardar sequer no habeas-corpus. Mas creio que, os embargos, os recursos e as outras safadezas (safadezas sim!) de advogados, distorcem a bom Direito. E a Justiça, paquidérmica, também ajuda. O caso do mensalão é exemplar. Marcos Valério, um dos 40 da turma do Zé Dirceu, voltou a delinquir. Está preso. Agora, é o tal de Enivaldo Quadrado, dono da Bônus-Banval, que é flagrado com 361 mil euros na cueca. A certeza da impunidade movimenta essa roda da corrupção. Confiantes na demora do julgamento e na prescrição dos crimes, não se acanham em propagar a bandidagem.

É chavão dizer que no Brasil só pobre vai para a cadeia. Infelizmente, a constatação pode ser batida estiliscamente, mas é a mais pura tradução da realidade. Alguém pode dizer quantos poderosos o STF condenou (e que estão na cadeia) nos últimos 10 anos? Se passar de meia dúzia é muito. Parece que, ao ser processado pela mais alta corte do país, o sujeito ingressa automaticamente no Serviço de Treinamento em Falcatruas.

Não é Daniel Dantas?

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Segunda Poliana

Pelo menos, em 2009, poderei assistir um jogo do Figueira no estádio. Vamos enfrentar o Braziliense. Valeu pela luta, mas não houve jeito de desfazer a incompetência do Mário Sérgio. É a segunda que veio braba. Nem o Mengão colaborou.

Me resta secar o Avaí e torcer pelo retorno do Figueira à série A em 2010.

Adivinha quem chegou?


Frank Maia é chargista do jornal A Notícia, de Santa Catarina. Como diria o povo lá de Floripa: "Ésss um monstro, dazunbanho!".

Novo PAC

Se insistir na manutenção dos juros no patamar estratosférico de 13,75% ao ano, o Banco Central estará lançando um novo PAC. Desta vez com a sigla significando Programa de Aceleração de Crise.

Os banqueiros apóiam a idéia.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Tucanos driblam a estrela

A estratégia colocada na rua pelo PSDB de realizar prévias para a escolha de seu candidato a presidência pode representar um duro golpe no PT.

É que, se confirmada, a disputa interna entre os governadores Aécio Neves e José Serra dará ampla visibilidade nacional para os dois tucanos. Evento desse tipo, inédito no Brasil, certamente terá ampla cobertura da mídia.

Como nós costumamos importar muita coisa dos Estados, de lixo até algo que preste, creio que a população também se interessará pela disputa. Longe de fraturar internamente o ninho tucano, as prévias podem fortalecer o candidato do partido e a legenda como um todo.

Lá no lado de cima do mapa, a competição acirrada entre Obama e Hilary Clinton mobilizou eleitores de todo o país e deu no que deu: Os democratas levaram a eleição nos EUA.

Claro que nosso sistema eleitoral é muito diferente, mas uma iniciativa desse típo é, no mínimo, instigante.

Enquanto isso o PT continua a abusar da exposição de Lula esquecendo que ele não será o candidato. Se bobear, mesmo com a máquina na mão, o PT largará na última fila da sucessão.

E não adianta confiar no PMDB. Essa semana mesmo o presidente do partido convidou Aécio Neves para ser o candidato da legenda a presidente. O governador agradeceu, mas dispensou o convite.

No mínimo, o ato dos peemedebistas já aponta claramente para uma direção: eles não estão dispostos a apoiar a candidatura da ministra Dilma Roussef. Se não aparecer outro candidato, o PT pode dar tchau para o PMDB.

Em outra frente, Ciro Gomes, do PSB, voltou a articular nos bastidores. Porém, não assume a candidatura presidencial. Ainda sonha em ser o nome escolhido por Lula.

Faltam dois anos para eleição, mas as primeiras peças do tabuleiro começam a avançar. E os tucanos estão em vantagem na partida.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Figa pelo Figueira

O Botelheco está em permanete vigília junto ao pé da imagem de Santo Expedito rogando por uma vitória do Figueirense contra o Internacional no próximo domingo, em Florianópolis, em partida válida pela última rodada do Brasileirão 2008.

Ao mesmo tempo, correspondentes deste blog na Bahia percorrem terreiros encomendando "rabos de arraia" a serem aplicados no Vasco, Náutico e Atlético Paranaense.

Chega de tragédia em Santa Catarina! O Figueira não pode afundar!

Direitos e deveres

Quando pobre ganha um direito, ele costuma vir acompanhado de três deveres. É a história da lâmpada de Aladin ao inverso.

Se ganha o bolsa-família tem que provar que é pobre, precisa manter os filhos na escola (péssimas, por sinal) e ainda acompanhar constantemente, nos postos de saúde, a evolução nutricional dos bacuris (que não se alimentam direitos mesmo com os trocados do bolsa-família). Sem falar nas horas na fila do cadastro.

Se pretende uma bolsa do governo para cursar uma universidade tem que fazer o Enem, tirar boas notas na prova, comprovar assiduidade e também falta de condições para pagar uma faculdade. Sem contar que ainda passa por uma "peneira" para conseguir o pagamento integral da mensalidade. Muitas vezes só consegue 50%. Ao final do curso, precisa prestar algum tipo de serviço à comunidade. No caso do Fies, outro sistema de financiamento estudantil, tem que devolver ao governo, depois de formado, o que recebeu de auxílio.

No caso do rico a situação é diferente. Se livra de um dever e ganhar três direitos.

Os bancos ganharam R$ 150 bilhões do governo para se protegerem da crise. Com isso, se livraram de "queimar" pequena parte lucros astronômicos para enfrentar tempos de "vacas magras". Em contrapartida, mais direitos. Não emprestam o dinheiro extra. Preferem jogar no overnight "que é mais garantido". Pelo governo, óbvio. Quando emprestam, aumentam a taxa de juros (e os lucros). E, para finalizar, ainda recebem de lambuja o direito de aumentar suas carteiras comprando "a preço de banana" bancos menores.

Caminho semelhante é percorrido pelas montadoras de veículos. Recebem do governo bilhões de ajuda para seus bancos-financeiras. Em troca anunciam férias coletivas e demissões em massa. O mesmo vale para o setor da contrução civil.

Se alguém encontrar uma lâmpada mágica no meio da rua faria um bem à humanidade se fizesse apenas um pedido ao gênio:

Que sumam os governos!

sábado, 29 de novembro de 2008

Cacaca da Petrobras

Quando pequeno, mamãe Regina sempre me alertava para não fazer merda com a seguinte frase:

_ Não vai fazer cacaca!

De lá para cá, sempre tive isso em mente para evitar maiores aborrecimentos e para não pular em ambientes de odores desagradáveis.

Pois cacaca foi o que acabou de fazer a Petrobras. Exemplo de tecnologia brasileira, orgulho do governo, acaba de perder o reconhecimento de empresa ambientalmente responsável justamente por fazer cacaca.

É que a empresa se negou a cumprir a Resolução 315/2002 do Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente) determinando a redução do teor de enxofre no diesel, norma que deveria ser cumprida até 1º de janeiro de 2009.

O combustível comercializado no país deveria apresentar concentração máxima de 50 ppm (parte por milhão) de enxofre. Atualmente varia entre 500 ppm nas regiões metropolitanas e 2.000 ppm nas cidades do interior e nas zonas rurais.

Na Europa, a concentração do enxofre admitida no combustível comercializado é de 50 ppm. Nos Estados Unidos já se encontra diesel com 15 ppm e, no Japão, a legislação impõe que o combustível tenha no máximo 10 ppm de enxofre.

A birra da Petrobras a afastou do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da Bovespa. Isso pode influir nos ganhos da empresa no mercado de ações. Três bolsas têm esse índice no mundo: Londres, Nova Iorque e São Paulo.

Insistiu no diesel sujo e, além de dar mau exemplo, fez uma cacaca bilionária. É que os fundos de investimento costumam levar em conta recomendações do International Finance Corporation (IFC) e do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, que agora colocam a Petrobras em sua lista negra.

E pior: Além de perder dinheiro, a estatal brasileira ainda “se lixa” para a saúde da população. Estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) aponta que, nos dias mais poluídos na Região Metropolitana de São Paulo, o número de internações por doenças respiratórias cresce cerca de 8% e a mortalidade geral aumenta de 4% a 6% em virtude a concentração de enxofre no ar.

O prejuízo aos cofres públicos chega a R$ 3,2 bilhões por ano com o agravamento de doenças cardiovasculares e respiratórias provadas pela alta concentração de enxofre no combustível.

Por essa e por outras que a senadora Marina Silva (PT-AC) jogou para o alto o Ministério do Meio Ambiente e deu um pé na bunda do governo Lula.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Site da Defesa Civil: Agora sim!

Na última segunda-feira, Botelheco criticou a "falta de sensibilidade" da Defesa Civil Nacional que, em seu site, mantinha na manchete uma matéria bajulando o presidente Lula, agraciado com uma medalha, e deixava em segundo plano a tragédia em Santa Catarina - veja o post.

Hoje, sexta-feira, o site traz informaçãoes úteis. A manchete é: Saiba como agir em caso de desastres. Agora sim, uma informação que se esperava de um órgão que tem justamente a função de atuar em casos desse tipo. Tem até um "Santa Catarina", em vermelho, piscando. Parabéns!

Mas demorou. Até quarta-feira a página manteve a manchete da medalhinha do Lula (que ficou no site durante um mês). Ontem, quinta, não conferi. De qualquer forma, antes tarde...

Não sei se mudaram por causa do post ou se alguém de bom senso sacou o absurdo e resolveu tomar providência. Só sei que o Botelheco registrou acessos de computadores baseados na sede da Secretaria Nacional de Defesa Civil, em Brasília. Alías, o post sobre o caso foi o mais lido e reproduzido (mas não comentado- esquisito né) em toda a curta história deste blog.

Reforma para meia dúzia


Reforma tributária. No Congresso Nacional não se fala de outra coisa. O fato é que trata-se de uma mudança "meia boca" que, na prática, não reduz impostos, o mínimo que se esperava de uma reforma justa em nosso sistema tributário. O único avanço, o imposto sobre as grandes fortunas, foi retirado do texto.

Era de se esperar já que o relatório foi feito por um deputado-empresário. Sandro Mabel (PR-GO), além de mensaleiro absolvido pelos colegas, é dono de uma das maiores fábricas de biscoitos do país. Aliás, em benefício próprio, ele incluiu no texto a possibilidade de estados permitirem a importação de insumos com isenção total de imposto. Tá querendo comprar trigo mais barato para suas fábricas.

Resumindo: Alguém acredita que uma reforma tributária gestada em recintos luxuosos do Hotel Meliá, em Brasília, vai beneficiar o metalúrgico que dá duro em uma fábrica de São Bernando do Campo? Essa era uma boa pergunta para se fazer ao presidente Lula.

Sobre isso, aliás, o site Congresso em Foco publicou uma boa matéria mês passado. Confira aqui.

Já ia esquecendo. A reforma também acaba com a CSLL dos bancos, aquele imposto de 15% sobre o lucro líquido. Coitadinhos dos banqueiros! Estão sofrendo tanto com a crise. Merecem mais uma ajudinha, não é Lula? Sobre isso, vale a leitura de outra matéria, desta vez do Estadão: Lucro líquido de 15 bancos supera o de 201 empresas.

Comparação: Para salvar bancos da crise o governo já liberou mais de R$ 150 bilhões. Para ajudar as vítimas da tragédia das chuvas em Santa Catarina foram pouco mais de R$ 1 bilhão.

DF se mobiliza por SC

Brasília também se mobiliza para arrecadar donativos para os atingidos pela tragédia provocada pelas chuvas em Santa Catarina. Neste momento, os flagelados necessitam com urgência de alimentos prontos para o consumo (biscoitos, entalatados, barras de cereiais, água, isotônicos...), materiais de higiene pessoal (sabonete, absorventes, fraldas descartáveis...) , roupas, cobertores e calçados, que devem ter numeração marcada do lado de fora, com caneta, bem como ter cada um dos pés amarrados, para evitar que os pares se percam.

As doações podem ser feitas em postos policiais, quartéis da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, delegacias de polícias, agências do Na Hora e nas sedes das administrações regionais do Distrito Federal. Cada administração terá dois caminhões à disposição, cedidos pelo Sindicato dos Caminhoneiros, para levar o material até Santa Catarina.

Cinco médicos e 15 enfermeiros da Secretaria de Saúde, todos voluntários, também irão à Santa Catarina ajudar no atendimento às vítimas.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

45 horas de tensão


O que era para durar 4 horas durou quase dois dias. 45 horas foi o tempo que minha cunhada levou para sair de Jaraguá do Sul, no Norte de Santa Catarina, e chegar a Florianópolis. Ela ainda não se recuperou da maratona, mas conta em seu blog um pouquinho da saga no meio da enchente. Teve sorte, está inteirinha. Clique aqui par ver.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Capitalismo social

Vivemos uma nova fase do capitalismo, o capitalismo social. "Oba, os lucros serão repartidos", comemoraria um marxista. Que nada, a divisão é dos prejuízos.

De onde vem o dinheiro que os governos do mundo todo estão gastando para salvar as instituições financeiras?

O Citibank agradece.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Diálogo presidencial

Fico imaginando aqui a conversa, nesta terça-feira, entre Lula e o presidente russo Dmitry Medvedev.

Logo na chegada o convidado, mantendo o protocolo, pergunta:

Lula, como estás?

No que nosso presidente responde:

É crise, enchente em Santa Catarina, grampo pra todo o lado, essa minha candidata que não decola... A situação tá russa companheiro!

E Medvedev devolve:

Russa não! Tá Bush e daqui a pouco vai ficar Obama.

Obs: Tô vendo que arrumei Sarkozy pra me coçar. Mas nem intica** que te dou um Berlusconi que não sara nem com Merkel.

** provoca

Conta, ajuda e informações

O Blog Sambaqui na Rede, do camarada Celso Martins, está repleto de informações sobre a situação de Santa Catarina. Traz, por exemplo, a notícia que a Defesa Civil catarinense abriu hoje duas contas bancárias para receber doações em dinheiro destinadas as pessoas atingidas pelas cheias.

São elas:

Banco do Brasil – Agência 3582-3, Conta Corrente 80.000-7
Besc – Agência 068-0, Conta Corrente 80.000-0

Diz o Celso que os recursos serão usados na compra de mantimentos para os desalojados, segundo informação da Secretaria de Estado de Comunicação.

"Adispois tem di fiscalizá né, pra sabê qualifoi", diria "seu Bicaca", lá do Pântano do Sul.

Outro endereço interessante é o Coluna Extra, do camarada Alexandre Gonçalves, que reúne, via twister, uma série de informações sobre a situação em Santa Catarina. Sua idéia foi parar no Diarinho, que, impedido pela chuva de circular, está no ar com um blog de emergência.

Peguei pesado?

Já tem gente me mandando e-mail (ficam com vergonha de comentar no blog) para dizer que "peguei pesado" com a Secretaria Nacional de Defesa Civil. Reclamei da manchete do site deles que destacava medalhinha para o Lula e deixava em segundo plano o desastre em Santa Catarina. Dizem que o mais importante agora é atender as vítimas (mas isso é óbvio) e não alimentar o site da entidade (o que discordo).

Ora, minha gente, informação também salva vidas.

Um raio-x detalhado da situação, com acesso fácil (e a internet é acessada hoje até por celular), evitaria, por exemplo, que muita gente se aventurasse pelas estradas numa hora dessas e corresse o risco de morrer em um deslizamento de barreira.

Bom lembrar, também, que essa não é a primeira vez que a Defesa Civil Nacinal demora para reagir a uma calamidade. Lembram do ciclone "Catarina" em 2004? Pois é, naquela época também dormiram no ponto. Desculpa? Não fazem plantão do fim de semana. Pode uma coisa dessas?

Matéria da Folha Online tascou a seguinte manchete: Defesa Civil de Lula folga no fim de semana e ignora ciclone no Sul. Leia mais.

PS: Estou me referindo, que fique claro, a lerdeza da turma de Brasília. Pelas informações que tenho, a Defesa Civil de Santa Catarina está desde o início em alerta e trabalhando dioturnamente.

Parabéns pra você...

Na tarde de hoje , após o post abaixo do Botelheco, o site da Secretaria Nacional de Defesa Civil começou a publicar matérias informando sobre as providências do órgão com relação as enchentes em Santa Catarina. Noticia, entre outras coisas, que o ministro Geddel Vieira Lima segue para Santa Catarina, que o Secretário da Defesa Civil sobrevoa a região mais afetada pelas chuvas e também que Defesa Civil Nacional presta socorro à população catarinense (era só o que faltava não prestar!). Porém, na manchete do site ainda permanece a medalha para Lula.

Aliás, seguem os sinceros parabéns do Botelheco para a matéria, que completa um mês de babação de ovo hoje. É que a solenidade de condecoração aconteceu no dia 24 de outubro.

Enquanto tragédia atinge SC, site da Defesa Civil bajula presidente Lula


A tragédia provocada pelas chuvas em Santa Catarina já causou a morte de 47 pessoas e deixou mais de 20 mil desabrigados, sem contar os milhares de cidadãos que estão ilhados em suas residências e nas rodovias. Enquanto isso, para o site da Secretaria Nacional da Defesa Civil, o mais importante é bajular o presidente Lula. Nesta segunda-feira, às 14h30, trazia como manchete: Ministro e secretário de Defesa Civil entregam medalha ao Presidente Lula.

Não havia, na página, informações detalhadas sobre a enchente que atinge o estado do Sul e suas conseqüencias. Para o internauta interessado em orientações, não era possível encontrar dados sobre mortes, desabrigados, mapeamento de quedas de barreiras, municípios atingidos ou qualquer outro detalhamento sobre a situação. O mesmo ocorria no site do Ministério da Integração Nacional, pasta que comanda a secretaria.

Era possível, no entanto, saber detalhes sobre a Medalha Defesa Civil Nacional 2008. Dizia o site: "Criada pelo Decreto nº 4217, de 06 de maio de 2002, a Medalha destina-se a distinguir e premiar personalidades civis ou militares, nacionais ou estrangeiras, e instituições ou bandeiras das instituições civis ou militares que tenham prestado serviço ao País e à comunidade nacional em assuntos de Defesa Civil. O Ministro Geddel Vieira Lima e o secretário Nacional de Defesa Civil, Roberto Guimarães, entregaram, no Clube do Exército de Brasília, a Medalha da Defesa Civil Nacional". O texto era ilustrado com uma foto do presidente Lula recebendo a premiação ao lado dos citados.

Sobre a tragédia em Santa Catarina havia apenas a notícia abaixo, publicada nesta segunda-feira, com pequeno destaque: Geddel Vieira Lima envia socorro a Santa Catarina

Santa Catarina dos Alagados

Santa Catarina está debaixo d'água e alguns de meus parentes sofrem com os efeitos da chuva que não dá trégua no meu estado natal.

Minha cunhada Adilene está ilhada entre Barra Velha e Piçarras e não consegue retornar para Floripa. Vindo de Jaraguá do Sul topou com uma barreira monstro em Piçarras, no litoral Norte. Tentou retornar para casa de minha sobra, em Jaraguá, mas foi impedida por outra queda de barreira, desta vez em Barra Velha. Passou a noite de domingo para segunda-feira em um posto de combustíveis, onde se aglomeravam milhares de viajantes. A água acabou em poucas horas e a comida também rareou. Sorte que carregava na mala uma "cuca" da mamãe alemoa e dois potes de feijão. Hoje conseguiu, pelo menos, chegar até Penha, por um desvio, onde se alojou em uma pousada. A previsão para liberação da BR-101 é de cinco dias.

Meus pais tiveram mais sorte. Estavam em Águas Mornas, no sítio, e conseguiram uma brecha para sair de lá no domingo, após a liberação de uma barreira. Foi só passarem que caíram mais algumas. Hoje, uma cratera levou parte da pista da BR-282. Contaram com ajuda do destino e já estão a salvo em Floripa.

Deixo aqui minha solidarieda às famílias dos (até gora) 47 mortos, 12.484 pessoas que precisaram ir para abrigos e 7.357 desalojados, totalizando 19.841 pessoas que tiveram de sair de casa.

Aqui em Brasília os parlamentares se movimentam para ampliar a ajuda do governo federal para o estado. É hora de deixar as diferenças de lado e somar esforçar para socorrer as vítimas desse tragédia.

Lanço aqui uma idéia: Que tal lançar um pedágio solidário, nessa época que se aproxima a temporada, para pedir aos turistas uma ajuda para as vítimas desse desastre natural. Acho que uma campanha dessas seria muito bem recebida pelo pessoal que curte nosso belo litoral. Ao voltar para casa, depois de curtirem merecidas férias, poderão levar na bagagem a certeza de que ajudaram a reerguer a vida de muitas das famílias que os acolhem todo ano.
Foto: Tatyana Azevedo do Clic RBS.

domingo, 23 de novembro de 2008

Ladrão criativo

Essa é outra que anda circulando aí pela web. O sujeitinho arrumou um jeito de roubar carro sem muito trabalho. A técnica só exige tempo e paciência. Dá uma olhada como funciona a malandragem nesse vídeo abaixo. Então, não esqueça, ao sair do carro tire a chave do contato. Não custa prevenir.

sábado, 22 de novembro de 2008

Versão em Inglês

Seguindo uma dica do Cibils passei a usar uma ferramenta do google que permite a tradução automática do blog para o inglês. Tá certo que não fica lá essas coisas, mas ajuda muito para os "gringos" que não entendem patavina (essa palavra não vai ser traduzida, por ememplo) de português. É uma opção interessante. Clique aqui para ver.

Ardente desejo

Recebi essa de minha irmã Jéssica. Diz o e-email que, em um momento de descontração, o poeta Carlos Drumond de Andrade escreveu:


'Satânico é meu pensamento a teu respeito, e ardente é o meu desejo de apertar-te em minha mão, numa sede de vingança incontestável pelo que me fizeste ontem. A noite era quente e calma e eu estava em minha cama, quando, sorrateiramente, te aproximaste. Encostaste o teu corpo sem roupa no meu corpo nu, sem o mínimo pudor!

Percebendo minha aparente indiferença, aconchegaste-te a mim e mordeste-me sem escrúpulos. Até nos mais íntimos lugares. Eu adormeci.

Hoje quando acordei, procurei-te numa ânsia ardente, mas em vão. Deixas-te em meu corpo e no lençol provas irrefutáveis do que entre nós ocorreu durante a noite. Esta noite recolho-me mais cedo, para na mesma cama te esperar. Quando chegares, quero te agarrar com avidez e força. Quero te apertar com todas as forças de minhas mãos. Só descansarei quando vir sair o sangue quente do seu corpo.

Só assim, livrar-me-ei de ti, pernilongo Filho da Puta!'

Botelho da Amazônia

Certa vez o camarada Dauro Veras me mandou para uma missão jornalística no Amazonas. Já em Manaus, comecei a me apresentar como Botelho e a recepção era curiosa. Os marmanjos ficavam desconfiados e a mulherada faceira. Em uma semana viajando pelo estado acabei descobrindo o motivo da "cabreirisse". Botelho lá é um dos nomes usados pelo tal do boto que "vira homem", faz farra em botecos e "embucha" a mulherada. Qualquer semelhança com outra lenda do Sul, a do "Diabotelho", não é pura coincidência. Para entender melhor a história segue abaixo uma animação educativa de Rodrigo Araújo, que catei no youtube.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Transparência Total

Pode-se acusar o delegado Protógenes Queiroz de ter extrapolado de suas prerrogativas durante as investigações da Operação Satiagraha, que resultou na prisão do banqueiro Daniel Dantas. Mas jamais será possível dizer que ele não seguiu a risca o dever de dar transparência e publicidade aos atos públicos.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Ministro resenha

O jornal Valor Econômico desta segunda-feira traz uma matéria que dá a dimensão de como nosso ministro da Fazenda, Guido Mantega, está preparado para enfrentar a crise econômica e impressionando as autoridades financeiras internacionais. Com o título "Sugestões do Brasil foram desprezadas ou ignoradas", a reportagem sobre a reunião do G-20 conta, a certa altura, o seguinte "causo":

"Em meados de outubro, ele se reuniu com o secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson, em Washington e sugeriu várias medidas para acalmar os mercados financeiros. Quando terminou, Mantega entregou a Paulson um exemplar da revista britânica "The Economist" e disse que tirara dali as recomendações que fizera. Paulson apenas folheou a revista e agradeceu".

Se perder o posto, já pode virar garoto propaganda da Mastercard. "Pagar mico" com o dono do cofre americano e achar que "abafou" não tem preço.

Sou obrigado a admitir que ainda bem que temos o Meirelles, para o bem e para mal. O resto é coisa de passar no pão.

Na política é da cintura para baixo


Passadas as eleições municipais entra na avenida, com toda a força, a disputa pela Presidência em 2010. Nessa briga não há regras e a maior parte dos golpes é da cintura para baixo. Não há trégua nem mesmo dentro dos partidos, onde a rinha é forte, podendo provocar baixas a todo o instante.

A mídia começa a colaborar para o acirramento dos ânimos, divulgando balões de ensaio de ambos os lados do ringue. É fase de soltar teses para "ver se cola" e medir a reação dos adversários.

Há menos de um mês do término da eleição municipal, o noticário político ferve a chaleira de 2010. Lula lançou oficialmente a ministra Dilma como sua sucessora. O anúncio foi feito na Itália, país onde agora, após conquistar a dupla cidadania, a primeira-dama "Galega" é cidadã. De dentro do PT, o cassado Zé Dirceu, pai do mensalão, trabalha contra a mãe do PAC, com ajuda do justiceiro ministro Tarso Genro.

No ninho tucano, José Serra e Aécio Neves se apressaram em confirmar suas pré-candidaturas e começaram a estocar o governo federal. Do PPS, a mídia já fala que se juntará aos tucanos, formando um só partido. A legenda, no entanto, confirma apenas o apoio a um candidato a presidente do PSDB.

O PSB e o PDT também ensaiam um casamento e insistem no lançamento de um terceiro candidato, provavelmente Ciro Gomes. Mas dentro desse grupo há divergência. Caso do deputado Miro Teixeira, líder do PDT na Câmara, que quer construir uma nova sigla que bem que poderia se chamar PBG (Partido do Balaio de Gato), pois pretende unir parlamentares do DEM, PSDB, PMDB, PV, PPS, PP e PDT.

Do PMDB, pode-se adiantar que, apesar de insistir na balela de candidato próprio a presidência, será mais uma vez governo.

Em outra frente, o Congresso trabalha para esculhambar ainda mais o quadro, abrindo uma janela para o troca-troca partidário. A idéia é permitir que em setembro de 2009, pouco mais de um ano antes das eleições presidenciais, os políticos fisiologistas possam pular para o barco do candidato que estiver na frente das pesquisas.

No meio de tudo, a crise econômica. Só falta aparecer um doido que queira acabar com toda essa guerra com um tiro só.

2009 e 2010 serão anos muito divertidos.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Cervejinha e tira-gosto da longevidade

No Rio Grande do Sul uma senhora vai completar 100 anos. E daí? É que a receita da longevidade é um coquetel formado por cerveja, cigarro, toucinho, torresmo e morcilha. Ficou curioso? Leia mais aqui.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Castração e o direito do sucessor

Com a divulgação seguida pela mídia de casos de abuso sexual contra crianças, já tem parlamentar defendendo a castração química de condenados por crimes de pedofilia, medida que é adotada na Alemanha, mas apenas com a concordância do réu. O assunto é polêmico, não é para brincadeira, mas frente ao argumento de um camarada meu, que analisou a Constituição, não resisto na gracinha:

Diz ele que a pena de um crime cometido por uma pessoa não pode ser repassada para seu sucessor (filho, filha, neto...). Desse modo, castrar o acusador seria condenar antecipadamente os filhos que poderiam dele advir. Entendeu?

Um argumento desses só poderia sair de um tarado pela carta magna.

Obs: A pedofilia é um crime bárbaro que precisa ser combatido com o máximo rigor da lei. Porém, sempre respeitando os limites de nossa Constituição que diz, em seu artigo 5°, que não haverá penas de morte, de caráter perpétuo, de trabalhos forçados, de banimento e cruéis (no que se encaixa, segundo jurista consultado pelo blog, a castração química). Esse artigo é cláusula pétrea, ou seja, não pode ser modificado nem por PEC (Proposta de Emenda Constitucional).

sábado, 8 de novembro de 2008

Nossa nave




_ Pai, quando nós vamos viajar de nave?
_ Hoje, meu filho. É só viajar.
Foto captada no Ginásio Nilson Nelson, Brasília-DF.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Big wave

A eleição de Barack Obama presidente dos Estados Unidos enterra de vez a tese do presidente Lula de que a crise econômica não passa de uma "marolinha". Não foi por acaso que os americanos escolheram para governar o país um homem que nasceu no Havaí. Ele está acostumado com ondas gigantes. Aqui, no Brasil, Lula mal sabe nadar.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Hamilton que se cuide...

Agentes da Abin foram vistos no GP Brasil de Formula 1, no último domingo, em atitude suspeita. Dizem que carregavam um equipamento guardião (aquela maleta grampeadora que ficou famosa após a divulgação das escutas contra o presidente do STF, Gilmar Mendes). Os arapongas teriam interceptado várias conversas via rádio com o piloto Timo Glock, da Toyota, aquele que deu ao inglês o quinto lugar na corrida e o título mundial. Oficialmente, o carro do alemão teria "perdido rendimento" na última curva.

Os agentes da Abin (que são massa, sacou brother?) desconfiam da versão. Hamilton que se cuide...

Seria esse um motivo para reanimar a moribunda CPI do grampo?

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

O que é isso companheira?

A jornalista Tereza Cruvinel, ex-O Globo e GloboNews, e que agora preside a rede de comunicação do governo de um presidente sindicalista, nem esperou um dia de greve para ameaçar punir (leia-se cortar o ponto e até demitir) os funcionários da EBC. Como diria um amigo meu: Chefe sindicalista não admite greve de seus funcionários. Cabe registrar que ela contratou "colegas" com salários elevados e deixou o restante dos jornalistas ( que já estavam lá antes de Tereza assumir) com remunerações achatadas (Leia mais na Folha). Abaixo notícia publicada pelo site Comunique-se.

Funcionários da EBC entram em greve

Sérgio Matsuura, do Rio de Janeiro

Em assembléia realizada no início da tarde desta quarta-feira (29/10) em Brasília, os funcionários da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) decidiram entrar em greve. Segundo informações da comissão de funcionários, as rádios que integram o grupo estão apenas tocando música e a TV Brasil funcionando com material que já estava produzido. A direção da empresa nega que a programação dos veículos tenha sido afetada.

Em comunicado interno, a presidente da EBC, Tereza Cruvinel, considera a greve como “intempestiva e intransigente”. Diz ainda que os funcionários “que deixarem de cumprir suas funções sem justificativa apropriada estão sujeitos às regras disciplinares previstas no estatuto da Empresa e na legislação trabalhista vigente”. Leia mais.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Assessor "du caralho"

Na campanha presidencial de 1998, Ciro Gomes ainda era virgem na política nacional. Em suas andanças pelo país levava a tirocolo um assessor de impresa de manias esquisitas.

Nos teco-tecos entre uma cidade e outra, enquanto o presidenciável dormia, o jornalista se distraía com um passatempo curioso.

Na lap-top abria um joguinho que tinha como objetivo encaixar camisinhas que caiam do céu num caralhinho que se movimentava, todo nervoso, na planície.

O resultado da eleição?

Ciro levou pau.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

É fan-tás-ti-co!

Dr. Drauzio Varella que se cuide. É que o jornalista-messiânico-conselheiro-religioso-multimilionário José de Paiva Neto, dono da Legião da Boa Vontade (LBV), iniciou sua escalada rumo ao mundo da Medicina. Na última edição da revista "No Grau", publicação "bate carteira" aqui de Brasília, publicou artigo com o título "Cuidado com a dengue!", onde dá dicas para o cidadão evitar a transmissão da doença. Estaria a LBV rumando para o curandeirismo? É fan-tás-ti-co!

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Adivinha a marca

Tomei uma num bar aqui em Brasília chamado Embaixada do Piauí. Na estufa tem lingüiça frita, no balcão um pernil para fatiar e na prateleira algumas conservas de ovos verdes. Em cima da geladeira uma TV com uma fita isolante cobrindo o nome do fabricante.

ps: Mais uma minha pinçada do blog do Dauro. Na época ele buscou no Google as palavras Philips + Piauí e encontrou 195 mil resultados. Hoje tem 5.810.000. Esse meu goró no tal boteco se deu em agosto de 2007.

Abolição e filho de pato

Resolvi recorrer ao blog do camarada Dauro Veras para catar algumas notas de minha lavra perdidas tempo. Como o colega é pioneiro, e pinçou algumas delas em nossa lista da salinhadoca, vou abusar.

Essa é de outubro de 2007:

Mestre Arildo e um discurso sobre a abolição

Arildo Dória, o jovem sábio de 73 anos que trabalha ao meu lado, acabou de receber a encomenda de um discurso sobre os 120 anos da abolição da escravatura. Quem requisitou, pediu especial destaque e elogios à "visionária" Princesa Isabel e às leis do ventre livre e do sexagenário.

Ele começou o discurso assim: Senhoras e senhores deputados, há 120 anos a escravidão foi abolida no Brasil. Antes, criaram a lei do sexagenário, que dava liberdade para o negro com mais de 60 anos quando a expectativa de vida no país era de 47. Depois criaram a lei do ventre livre, como se a criança fosse jogada pela janela como filho de pato, que já nasce nadando...

Que pena que na minha época de escola não havia um professor como Arildo. Tinha que aturar as aulas de EMC (Educação Moral e Cívica).

Tinindo

Comitiva de político pelo interior do Brasil fatalmente vai parar na zona. Numa dessas empreitadas, lá pelo interior da Paraíba, a autoridade em questão, um senador já da terceira idade, resolveu convidar a jornalistada que acompanhava "os eventos" para ir até um puteiro.

O estabelecimento era precário, com os quartinhos separados por divisórias de madeirite. Vá lá, o trem não era lá essas coisas, mas ninguém tava a fim de perder a viagem, ainda mais com os cornos cheios.

Cada um foi tratando de arrumar sua rapariga e rumar para o quarto.

A jornalistada tava lá no bem-bom quando surgiu uma pequena discussão, justamente no quartinho em que se aboletou o senador.

Era um tal de vira, de ajuda, de assim não dá, de splesh, vupt e outras "rabações". A comitiva de imprensa até largou de mão as meninas para escutar o furdunço.

Foi então que a companheira do parlamentar decretou o fim da foda...

_ Mas senador! Pra cumê cu o pau tem que tá tinindo!

... e o início da gozação.

Artesanato, biojóias e meio ambiente

Quem gosta de artesanato, meio ambiente e biojóias não pode deixar de conferir o blog da Yasaí Biojóias, produzido por Adriane Adratt, de Brasília. Ela produz peças exclusivas com matéria prima do cerrado e vêm participando de importantes eventos da área. No blog você pode conferir os eventos que rolam na capital federal e outras regiões. Tem também o espaço no youtube, com um vídeo que mostra um pouco mais do trabalho dela. Quem se interessar pelo trabalho, também pode comprar as peças na loja virtual. Não deixe de visitar.

Em tempo: A moça competente é minha mulher.

Quem dá a Carta

O destaque da revista Carta Capital desta semana são as 14 páginas vendidas a Petrobras, por meio do famigerado "publieditorial", que nada mais é do que matéria paga no meio do conteúdo jornalístico da revista. Certa vez trabalhei na revista de "um jornalista" que fazia muito disso. Não imaginei que algum dia o "tic" iria "pegar" no Mino Carta.

Das 90 páginas desta edição, 19 são de anúncios de governo e estatais. Um belo capital. Fora as 14 da Petrobras, tem uma sobre trânsito bancada pelos ministérios da Saúde e Cidades, duas da Caixa e duas do governo do Ceará.
Já ia me esquecendo... Também tem duas da Cervejaria Petrópolis, empresa investigada pela PF por sonegação fiscal, numa engenharia que tem entre os cabeças o publicitário Marcos Valério, aquele carequinha do mensalão.
O julgamento da contaminação desse cenário no material editorial da revista cabe a cada leitor. Pessoalmente, ainda seleciono muito material interessante na revista. Na área da política também vale a pena ler, nem que seja, em muitos casos, para saber como pensa o governo. Mas vez ou outra a revista também bate em Lula. Bate é exagero, dá um peteleco.
Agora, nada mais me deu nojo do que uma crítica sobre o Jô Soares publicada na semana passada. Vou poupá-los da reprodução. Parecia até que foi escrita pelo Reinaldo Azevedo.
Em tempo: A capa da revista deste semana - Lá vai o outro muro - fala do fracasso do capitalismo neoliberal.
Sugiro como pauta, para a próxima edição, o nascimento do "Capitalismo Estatal".

sábado, 18 de outubro de 2008

Pólos

Meu filho Pedro, de 7 anos, me pergunta onde ficam os pólos Norte e o Sul. Digo a ele que o Norte fica para cima e o Sul para baixo. Ele olha pra mim e diz:

_ Entendi, mas se eu chegar lá no Pólo Sul o Norte fica pra baixo né?

É mesmo tudo uma questão de ponto de vista.

Lambranho no Herzog

O camarada Lúcio Lambranho acaba de ganhar Menção Honrosa no prêmio Vladimir Herzog com uma série de matérias sobre o trabalho escravo. Para saber mais acesse o site Congresso em Foco. As reportagens contam o drama de 79 trabalhadores rurais do Piauí, submetidos a condições análogas de escravo e vítimas de um grave acidente rodoviário no interior da Bahia.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Prefeito de município em extinção

Não ví nada na mídia sobre o assunto. Mas bem que valeria uma entrevista com o prefeito eleito de Pacaraima, em Roraima. É o típico caso daquele que pode ser sem nunca ter sido. O tucano Altermir se elegeu com 2.250 votos, mas sua posse está nas mãos de uma decisão do Supremo Tribunal Federal. É que a cidade fica bem no meio da Reserva Raposa Serra do Sol que, se confirmada pelo Supremo em terras contínuas, varrerá o munípio de Pacaraima do mapa.

Ou seja: Altemir ganhou um picolé que só pode chupar no dia 1° de janeiro. Enquanto isso, tem que arrumar um jeito de mantê-lo sólido sem colocar na geladeira.

Dava uma materinha legal. Ainda mais que o maior defensor da manutenção do município, o demo Paulo Cesar, aquele que armou o maior furdunço na região, com direito a guerrilha com os índios, queima de pontes e homens bombas exibidos para a mídia, perdeu a eleição para o tucano.

sábado, 4 de outubro de 2008

Histórias sobre cigarro 2

Ciro Gomes é um fumante inveterado. Por isso, entrevistas longas em estúdios de televisão ainda são um suplício pra ele.

Certa vez, na campanha presidencial de 2002, ele dava uma entrevista para a TV Câmara. No lado de fora os jornalistas dos demais veículos o aguardavam para a tradidicional "apertada diária", quando o candidato costumava soltar suas "patadas".

Como eu assessorava o partido dele, sempre sobrava para mim "trabalhar na camaradagem" em suas aparições em Brasília. Lembro que ele nem me chamava pelo nome. Dizia assim:

_ Ô menino, pega aquele relatório ali pra mim.

Mas nesse dia me vinguei:

Ciro saiu do estúdio louco pra fumar. Vem em minha direção e, na frente da jornalistada, mete a mão no bolso de minha camisa e pega um cigarro, no que se dá o seguinte diálogo:

_ Pode botar de volta.

_ Qual é Botelho? (nessa hora lembrou o meu)

_ Tô falando pra botar de volta (emburrado ele botou)

_ Agora pede por favor.

_ Por favor, me dá um cigarro pelo amor de Deus.

_ Agora sim.

E entreguei o cigarro pro desesperado.

Histórias sobre cigarro 1

Essa é dos tempos em que ainda podia fumar nos corredores da Câmara dos Deputados.

Tava lá eu, pitando um cigarrim no anexo das comissões, quando passa uma senhora rechonchuda. Ela olha pra mim e diz:

_ Tu não sabe que cigarro faz mal a saúde.

No que respondi de pronto, sem pensar:

_ Comer demais também.

A gordona seguiu seu caminho resmungando impropérios contra minha pessoa.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Lição de moral

Hoje me bateu uma preguiça danada e resolvi dar uma durmidinha a mais. Tava lá me refestelando na cama quando chega meu filho Pedro, de 7 anos, com a mão na cintura.

_ Papai, deixa de ser preguiçoso. Levanta logo daí que tu vai chegar atrasado no trabalho!

Obedeci sem retrucar, mas com a moral lá no dedão do pé.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

A "pindura" e a crise finaceira global

Circula pela internet uma explicação bem didática sobre a crise financeira global que pode ser entendida facilmente em qualquer boteco. E o botelheco não poderia deixar de reproduzir:

Observem como fica fácil de entender!

Para quem não entendeu ou não sabe bem o que é ou gerou a crise americana, segue breve relato econômico para leigo entender.

É assim:

O seu Biu tem um bar na Vila Carrapato e decide que vai vender cachaça na caderneta aos seus leais fregueses, todos bêbados, quase todos desempregados.

Porque decide vender a crédito, ele pode aumentar um pouquinho o preço da dose da branquinha (a diferença é o sobrepreço que os pinguços pagam pelo crédito).

O gerente do banco do seu Biu - um ousado administrador formado em curso de emibiêi, decide que as cadernetas das dívidas do bar constituem, afinal, um ativo recebível e começa a adiantar dinheiro ao estabelecimento tendo o pindura dos pinguços como garantia.
Uns seis ézécutivos de bancos, mais adiante, lastreiam os tais recebíveis do banco, e os transformam em CDB, CDO, CCD, UTI, OVNI, SOS ou qualquer outro acrônimo financeiro que ninguém sabe exatamente o que quer dizer.

Esses adicionais instrumentos financeiros, alavancam o mercado de capitais e conduzem a operações estruturadas de derivativos na BM&F, cujo lastro inicial todo mundo desconhece (as tais cadernetas do seu Biu).

Esses derivativos estão sendo negociados como se fossem títulos sérios, com fortes garantias reais, nos mercados de 73 países.

Até que alguém descobre que os bebum da Vila Carrapato não têm dinheiro para pagar as contas e o Bar do seu Biu vai à falência.

E toda a cadeia sifu...

Extra! Extra! O jornal sumiu

A eleição na baixada fluminense anda quente. Neste final de semana sobrou até para os vendedores de jornais, que tiveram como manchete: Extra! Extra! O jornal sumiu.
É que cerca de 30 mil exemplares do Diário Extra, das organizações Globo, foram comprados na boca da central de distribuição, antes de chegar as ruas. A edição trazia matérias denunciando práticas ilegais de alguns deputados-candidatos. Saiba mais.

domingo, 28 de setembro de 2008

Tese antidemocrática

Toda vez que o presidente Lula Molusco sobe nas pesquisas de opinião, lá vem um puxa-saco sugerindo a postergação de seu trono. Primeiro vieram com a tal da re-reeleição, o maldito terceiro mandato. Dessa vez, malandramente falam em postergação do mandato por mais dois anos, aumentando também o tempo de permanência no poder de governadores, deputados e senadores, justamente aqueles que podem aprovar tal iniciativa.

Por trás disso, apresentam a desculpa de promover a coincidência eleitoral. Ou seja, iríamos às urnas apenas de quatro em quatro anos para eleger prefeitos, vereadores, deputados (estaduais e federais), governadores, senadores e presidente. Alegam os "bem intencionados" senhores que isso economizaria gastos com a organização das eleições, com campanhas, horário eleitoral...

A oposição, como sempre, acusa golpe. Diz que é um atentado contra o estado democrático de direito, um golpe contra a Constituição e por aí vai. Mas não entra no centro da questão.

Coincidência eleitoral. Isso sim é antidemocrático porque apequena a democracia, reduz o debate e coloca todas as esferas de poder no mesmo balaio. Imagine como se daria uma campanha onde você teria que escolher de vereador a presidente. Se hoje já há um debate superficial, tenderia para pior.

Na lógica, quanto mais eleições, mais democrático é o país que vivemos. Reduzi-las é um caminho perigoso, com possíveis atalhos rumo a sua supressão.

Mundo das sombras


Editando algumas fotos de nosso arquivo, me deparei com essa imagem, capturada pela minha mulher, a Adriane. Textura e sombras sempre dão bom resultado. Examinando os detalhes, voltei a ser criança. Resolvi cortar a original e inverter a sombra. Olha só no que deu.

O mundo das sombras as vezes é mesmo assustador. Dava até pra ganhar um troco vendendo essa imagem para revistas de aparições sobrenaturais.

Depois do inverno

Foi uma invernada daquelas, digna de ursolina hibernação. Congelei o blog por algum tempo por diversos motivos: Saco cheio, trabalho e, confesso, até preguiça mesmo. Estou voltando devagar. Nesse primeiro post, vai uma fotinho dos mognos que vejo da janela do meu "fumador de cigarro", como diz meu filho Pedro.

terça-feira, 1 de abril de 2008

Liberou geral

Não bastou manter o imposto sindical, aquele dia de trabalho que tiram anualmente de nossos salários. Ontem, Lula Molusco vetou o único artigo moralizador do projeto de reconhecimento da Centrais Sindicais, que exigia a prestação de contas ao Tribunal de Contas da União (TCU) do dinheiro (cerca de 1 bilhão) que os sindicatos e centrais recebem via imposto sindical. Nosso presidente alegou que seria interferência do Estado nos sindicatos, o que é proibido pela Constituição. Ou seja, receber dinheiro que era do governo (as centrais ficaram com 10% dos 20% que cabiam a União) pode, mas prestar contas dele não, pois seria intromissão nos sindicatos. Está aberto o caminho para a bandalheira com o nosso dinheiro.

Photoshop

Virou mania jornais e revistas oferecerem como brindes CDs dos mais variados programas, vídeos, jogos, músicas...

Seria bom a Playboy brindar seus "leitores" com um do Photoshop.

terça-feira, 25 de março de 2008

Retiro, dossiê e motoserra

Volto do meu retiro em meio a essa história de dossiê do Planalto sobre os gastos sigilosos de FHC. A Veja diz que é coisa do PT, o ministro Tarso Genro culpa o TCU, o tribunal nega, a Dilma pede desculpas para Dona Ruth, Lula diz que é mentira da revista...

Só conheço um sujeito capaz de provocar tanta devastação com apenas um golpe de motoserra.

terça-feira, 18 de março de 2008

Decreto automotivo

O governo Lula acaba de editar um decreto para regulamentar o uso de carros oficiais. A medida é uma resposta rápida às investigações em curso, prontas para estourar, sobre a farra com o uso das carangas governamentais. Para se ter uma idéia, tem ministério pagando mais de R$ 1 milhão por mês por aluguel de 12 carros. Com esse dinheiro dava para comprar mais do que o dobro.

O decreto proíbe, por exemplo, o uso de veículos durante finais de semana e feriado, exceto para atividades de trabalho; e a guarda de carros oficiais em garagens residenciais.

Se proíbe é porque antes era permitido?

Cartão piroca

"Enquanto no Brasil se gasta com tapioca na Espanha é com piroca". A frase é do colega William Passos, após ler matéria publicada pelo site Conta Abertas sobre os gastos com cartões corporativo feitos por um vereador do balneário espanhol de Palma de Mallorca. Confira do que se trata.

segunda-feira, 17 de março de 2008

Odor de mercado

E dizer que o mundo inteiro confiava numa instituição chamada FED. Eita nariz entupido danado!

Videntes de araque

Ler as análises de economistas sobre a crise econômica mundial é puro divertimento. Cada um diz uma coisa. Engraçado que eles só chegam a uma conclusão prática depois do fato consumado. Há um ano ninguém via a possibilidade de quebradeira. A cada dia fica mais evidente que economista é igual mãe-de-santo: Roda, roda e só enrola.

quarta-feira, 12 de março de 2008

Na boca do caixa

Agora ficou mais fácil fazer compras no Congresso. Instalaram terminais da Caixa e do Banco do Brasil no cafezinho do Plenário da Câmara. Entre uma votação e outra os parlamentares podem conferir o saldo. É a modernidade.

sexta-feira, 7 de março de 2008

Cadê a Agenda

O site da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca - SEAP não disponiliza mais a agenda do ministro Altemir Gregolin. Tentei umas dez vezes, mas a página sempre cai. Será que é para a imprensa não "cruzar" os gastos dele com cartão corporativo com a agenda de atividades? Queria saber, por exemplo, o que ele estaria fazendo em Floripa no dia 19 de janeiro. Vou tentar por telefone, com a assessoria.

Pito nos jornalistas

O ministro Jorge Hage mandou publicar no Portal da transparência um comunicado em que dá um puxão de orelha na imprensa. Diz que, ao fuçar os dados dos cartões, muitos jornalistas estão comentendo injustiças. Apuram mal e colocam inocentes em situação constrangedoras. Na maioria dos casos apontados, ele está certo. Mas há dois em especial que a defesa feita por ele é questionável.

Um deles é o da famosa mesa de sinuca do Ministério das Comunicações. Para CGU, é normal gastar dinheiro público para trocar o pano do "móvel". Afinal, segundo Hage, ele "é usado como passatempo dos motoristas, nos horários de folga. Para a CGU, a despesa foi absolutamente legal". Pô ministro, será que os funcionários não podiam, pelo menos, fazer uma "vaquinha" em prol dessa diversão. Nós é que temos que pagar por isso?

O segundo caso considerado normal pela CGU diz respeito ao gasto de R$ 70 na choperia Pingüim, em Ribeirão Preto (SP), feito pelo ministro Altemir Gregolin (Pesca). Segundo Hage, "a CGU verificou que o cartão pagou uma refeição do ministro. Não há no documento menção a bebida alcoólica". Cabe perguntar ao ministro se ele já viu, algum dia, nota de restaurante discriminando birita. Em 99% dos casos tá escrito lá: refeição. Porém, nesse caso, juridicamente não há o que se contestar. Se tá refeição na nota é refeição e ponto. Refeição de choperia.

Partindo dessas pequenas concessões é que as coisas vão se avolumando.

Este blog tá fora do puxão de orelha, pelo menos por enquanto. O ministro não questionou os registros sobre as compras dos seguranças de Luriam no Camelão de São José, os gastos deles em uma padaria do Bom Abrigo, em Floripa, muitos menos as compras de Ariene, funcionária da Presidência, na feira do Paraguai de Brasília e numa loja de brinquedos do Distrito Federal.

Quem é o pai?

Dona Marisa está cabreira. Lula acaba de dizer que a ministra Dilma é a mãe do PAC. Quem seria o pai?

As costureiras do Planalto

Enquanto o PSDB movimenta suas peças para a sucessão de 2010, o PT e o presidente Lula trabalham para ampliar espaço no eleitorado. De olho em eleitores descontentes com o governo, em especial da classe média, o Planalto tem na manga um projeto para aumentar as faixas (hoje são duas) de desconto do imposto de renda. Isso beneficiaria exatamente essa fatia do eleitorado, que ganha entre 3 mil e 10 mil reais. Hoje, pagam os mesmos 27,5% que banqueiros e grandes empresários. Passariam a pagar um pouco menos.

Na outra ponta, o governo amplia as bolsas para garantir o eleitorado das classes mais baixas, que já conta como seu.

Em outra frente, Lula e PT se aproximam cada vez mais dos evangélicos, fortelecendo laços com o senador Marcello Crivella, no Rio, e com a Rede Record, do bispo Edir Macedo. É um eleitorado considerável e que pode ser decisivo numa corrida presidencial.

Só não resolveram ainda um problema: o candidato. Coisa simples assim.

quinta-feira, 6 de março de 2008

Imposto da "cumpanheirada"

A Câmara dos Deputados vai dar, na semana que vem, mais uma mostra de sua incoerência. Ao votar a lei que reconhece as centrais sindicais, aprovou também o fim do imposto sindical obrigatório, aquele que nos tunga um dia de trabalho por ano. Pela proposta, se tornaria uma contribuição facultativa, só descontada do trabalhador que autorizasse. Pois o Senado vetou isso, mantendo a taxação compulsória.

Agora, a Câmara vota o assunto de novo. Por coerência, teria que retomar sua proposta, acabando de vez com a obrigatoriedade da taxa. Só que a Casa está tomada por sindicalistas das mais variadas frentes. Querem manter as boquinhas e especilmente a grana (nossa, é claro) que lhes suspenta. Para isso, usam argumento$ forte$ na conver$a com os deputados. É prome$$a de voto, ajuda para campanha...

Não há duvida, a Câmara, que parecia ter tido um lampejo de lucidez ao acabar com o imposto obrigatório, vai dar ré na votação programada para a próxima semana.

Foi dada a largada para 2010

A união de PV, PPS e PSDB em torno da candidatura de Gabeira no Rio é o pontapé inicial de um movimento mais ambicioso, visando as eleições de 2010. Não é a toa que Serra e Aécio se apressaram em declarar publicamente o apoio a Gabeira, antes mesmo do diretório municipal tucano oficializar a aliança.

Serra, pois é um dos pais da idéia. Quer dar ao PSDB, e principlamente a sua canditura em 2010, uma guinada à esquerda.

Aécio, por sua vez, percebeu o movimento do seu concorrente direto na cabeça da chapa tucana. Como bom mineiro, preferiu somar a dividir.

O prefeito do Rio, Cesar Maia, já se mostra preocupado com a articulação, tanto que dedicou a abertura de seu ex-blog de hoje ao assunto. Ele mesmo cogita ser candidato em 2010 e defende que o DEM se desquite do PSDB em 2010. Analisa que a esquerda está dividida e que há espaço na sociedade brasileira para o avanço da direita.

Cesar Maia é esperto e sabe que Serra não brinca em serviço.

O futuro dirá, mas esses movimentos tem tudo para resultar num enxugamento do quadro partidário brasileiro, com a fusão de diversas siglas após 2010.

Uma icógnita é o PMDB. Para onde o mastodonte político de grande apetite vai se arrastar? Aguardemos os próximos passos.

quarta-feira, 5 de março de 2008

Vai plantar o quê?

Um grupo de deputados lançou nesta quarta-feira, em Brasília, a Frente Parlamentar da Agricultura. Um deles, quando foi assinar a lista de presença, percebeu que entre os apoiadores da iniciativa estava o colega Fernando Gabeira. Como não perde piada, foi logo perguntando: O Gabeira vai plantar o quê?

Defensor da descriminalização da maconha, Gabeira é um dos quadros mais respeitados na Câmara e, agora, surge como pré-candidato a prefeitura do Rio de Janeiro. Sua incursão na política municipal com certeza servirá para fazer chegar umas verdades à uma corja de políticos safados que habitam por lá. Se fizer coisa semelhante ao que fez com Severino Cavalcanti já será uma boa para a cidade.

E ele não se intimida. Lembro que certa vez, na Comissão de Segurança Pública da Câmara, um dos deputados reclamou da convocação frequente de sequestradores para prestar depoimento. Dizia que era um absurdo, que lugar de traficante era na cadeia, quando Gabeira interrompeu:

_ Nobre colega, se essa regra passar a valer eu vou ter que me ausentar da comissão.

Gabeira foi um dos militantes de esquerda que participaram do sequestro do embaixador americano Charles Burke Elbrick em 1969, durante a ditadura militar, para exigir que o governo brasileiro libertasse presos políticos.

Aliás, um dos libertados foi o ex-ministro José Dirceu, figura que hoje Gabeira quer distância.

terça-feira, 4 de março de 2008

Cadê o projeto?

O deputado José Anibal, líder do PSDB na Câmara, foi o entrevistado de ontem no Roda Viva, da TV Cultura. Tudo bem que o comentário tá atrasado, mas vale o registro. Perguntado pelo Carlos Marchi, do Estadão, onde estava o projeto da oposição para o Brasil se enrolou todo. Foi até contrangedor. E olha que o Zé não inábil. É que não tem projeto mesmo. Ele também não pode dizer que vai dar continuidade ao projeto do FHC, pois esse o PT já se apropriou. Eita sinuca de bico!

segunda-feira, 3 de março de 2008

Dedo-duro

Políticos próximos ao presidente são unânimes em negar que Lula tomou um aperitivo antes de desancar o Judiciário na semana passada, em Aracaju. Hoje, na sessão solene da Câmara dos Deputados em homenagem aos 28 anos do PT, um deles brincava:

_ Se Lula bebe Marcelo Déda.

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Nariz de palhaço

“Seria tão bom se o Poder Judiciário metesse o nariz apenas nas coisas dele, o Legislativo apenas nas coisas dele, e o Executivo nas coisas dele.”

Não falei. Hoje mesmo postei uma nota sobre o terceiro mandato e a tendência de Lula Molusco de se ver como um rei. Até brinquei que, dia desses, ele poderia propor a volta da monarquia. Pois a frase acima, dita pelo presidente em Aracaju, é um espelho disto.

Vamos lá: Se o Judiciário não se meter nas coisas dos outros vai fazer o quê? Sugiro aos brasileiros que passem a protocolocar pedidos de divórcio, de guarda de filhos, de indenização trabalhista no protocolo do Palácio do Planalto.

Pela visão de Lula, o Legislativo também não deve meter o nariz no que ele faz, como se uma das principais funções do Congresso não fosse justamente a de fiscalizar os atos do Executivo.

Oras, sendo assim, por quê o machão Lula não dissolve o Congresso, alegando "segurança e proteção da sociedade", e indica ele mesmo deputados e senadores, como faz com seus conselhos biônicos?

Pelo jeito, Lula quer que todos os brasileiros adotem o nariz de palhaço.

É brincadeira?

Enquanto oposição e governo brincam de faz-de-conta com a CPI dos Cartões Corporativos os gastos extravagantes continuam a todo vapor. Nesta semana a CGU voltou a realimentar o Portal da Transparência. Numa olhada rápida nos gastos da presidência (nos poucos que não estão sob sigilo) dá para ver que a dona Ariene Menezes, aquela que gastou R$ 40 na Feira do Paraguai de Brasília em uma loja que vende óculos de grife falsificados, continua passando o cartão em estabelecimentos, digamos assim, controversos.

No dia 10 de dezembro passado ela sacou da bolsa seu cartão corporativo para pagar uma conta de R$ 140,oo numa loja do Guará, cidade satélite de Brasília. Na fatura aparece que o crédito foi parar na conta da Maria de Fátima Gomes Marques-ME. O site da Secretaria da Fazenda do DF revela que o estabelecimento tem como atividade econômica "Comércio varejista de brinquedos e artigos recreativos".

É brincadeira?

De volta para o passado

Dizem que após ressuscitar os territórios Lula Molusco pretende reimplantar a monarquia no Brasil. Adivinhem quem será o bobo da corte?

E é bom ficar esperto. No Congresso, o deputado Devanir Ribeiro (PT-SP) garante que não vai desistir de sua emenda constitucional que dá ao presidente o direito de disputar um terceiro mandato.


Do outro lado da rua, no Supremo Tribunal Federal, o ministro Marco Aurélio Mello diz que a proposta é inconstitucional. "Morre no protocolo", sentencia o mais recente desafeto do Planalto.


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Que implantem o SIAP

No meio da crise dos cartões corporativos o presidente Lula tentou distorcer a situação dizendo que a descoberta de desvios de dinheiro por meio do dinheiro do plástico do governo só foi possível graças a transparência de seu governo. Citou como obra sua o Portal da Transparência, que registra os gastos do governo. Só esqueceu de dizer que apenas 30% deles estão lá.

Como o país já conta com o SIAFI (Sistema Integrado de Administração Financeira), e desse Lula não pode requisitar a paternidade, sugiro que o Planalto lance o SIAP (Sistema Integrado de Administração de Propina). Se roubar dinheiro público virou coisa banal e o PT "faz o que todo mundo já fez", então que dêem transparência a isso.

Não precisa nem de concurso público para gerenciar o sistema. É só contratar os 40 do mensalão sob o argumento de "notório saber".

Ex-caseiro, Nildo agora vive de bicos

Não costumo postar matérias inteiras de jornais, mas essa do Estadão de hoje, com o caseiro Francenildo, serve para mostrar o que acontece com um cidadão decente que resolve denunciar os demandos de poderosos de Brasília. Palocci, apesar de perder o ministério, está numa boa circulando pelo Congresso e, como deputado federal, é cogitado até para relatar a reforma política. O caseiro está desempregado e vive de bicos. Pelo menos o Ministério Público denunciou Palocci pela quebra do sigilo. No entanto, até o Supremo julgar o caso é capaz do crime prescrever. A única semelhança entre eles é que os dois perderam mulheres. Nildo, por causa do inferno que a denúncia provocou em sua vida, e Palocci, devido a trairagem de um companheiro de partido. Mas como o ex-ministro vive da política já está acostumado com o "fogo amigo".

'Meu sonho é ter um emprego com carteira assinada'

Ana Paula Scinocca, BRASÍLIA

Quase dois anos depois de ter sido o pivô da queda do então ministro da Fazenda, Antonio Palocci, o caseiro Francenildo Santos Costa diz não ter “arrependimento algum” de ter revelado o escândalo envolvendo o ex-homem forte do governo Lula.

Em março de 2006, Nildo, como é chamado, revelou ao Estado que Palocci freqüentava uma casa em Brasília onde era feita partilha de dinheiro entre amigos do ministro. “O único arrependimento que eu tenho na vida é o de não ter seguido o conselho da minha mãe de ir estudar”, disse ontem, depois de saber que o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, denunciou Palocci, agora deputado federal pelo PT, pela quebra de sigilo funcional do caseiro. “Estou correndo atrás do prejuízo”, afirmou. Nildo faz supletivo e cursa a 6ª série do ensino fundamental.

Nildo não é mais caseiro no Lago Sul. Vive de bicos, como o de jardineiro. “Meu sonho é ter um emprego bom com carteira assinada.” E está fazendo o que pode para isso. “Já voltei a estudar e consegui limpar meu nome (junto ao Serviço de Proteção ao Crédito).” Ele sonha em abrir nova conta bancária. “Mas desta vez vai ser em outro banco”, comenta, lamentando a quebra de seu sigilo em conta da Caixa Econômica Federal.

Aos 25 anos, Nildo carrega as seqüelas do episódio, que causaram a separação da mãe de seu filho de 8 anos e o distanciamento, ainda maior, do pai, Eurípedes Soares da Silva. À época em que o escândalo veio à tona, ele se afastou ainda mais do pai, que estava perto de reconhecê-lo como filho.

“A história toda só me afastou dele”, afirmou em entrevista ao Estado no final da tarde de ontem. “Minha mulher foi embora porque teve medo de perseguição. Preferia ter aparecido morto com um tiro na cabeça do que ter tido meu sigilo revelado. Me senti violentado.”

Mais maduro, reconhece que aprendeu muito com tudo. “Principalmente a ficar longe de político. Foi a primeira e última vez que trabalhei para político. A gente presencia muita coisa que não gostaria.” Apesar disso, não descarta, quem sabe um dia, “daqui a 10 anos”, se candidatar a algum cargo.

Nildo conta que o período mais difícil foi quando passou a ser motivo de “piada” na rua. “Todo mundo me chamava de Palocci.” Seu sofrimento o fez pensar até em suicídio. Diz que não deseja “cadeia” para o ex-ministro, “até porque sabe que ele não vai pegar mesmo”. “Espero alguma justiça.” Sobre a indenização que pode vir a conseguir, não faz planos. “Sabe Deus quando poderá sair.”

Ministro Lupo

O ministro da Trabalho, Carlos Lupi, bem que poderia trocar de sobrenome. Coisa simples: de Lupi passaria a Lupo. Afinal é de conhecimento público que ele assumiu a pasta com o único objetivo de fazer o "pé-de-meia", o seu e o dos companheiros de partido.

De um total de R$ 158 milhões em convênios assinados pelo Ministério do Trabalho no final de 2007, cerca de R$ 90 milhões foram destinados a 16 entidades cujos dirigentes são filiados ou parentes de filiados ao PDT, partido do qual Lupi é presidente.

Vai faltar meia para embalar toda essa grana.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Figueira campeão!



Mais uma vez o Furacão do Estreito leva o primeiro turno do campeonato catarinense, deixando os felinos (Avaí-Leão e Criciúma-Tigre) choramingando na barra da saia da vovó. Com a vitória de 4 a 2 contra o Atlético, de Ibirama, o Figueira garantiu vaga na Copa do Brasil de 2009 e já está confirmado na final do Catarinão de futebol. Único time do estado na primeira divisão do campeonato brasileiro, o Figueira segue sua performance de "pau em bater em doido". Aos avaianos e criciumenses resta passar gelol no lombo.

sábado, 23 de fevereiro de 2008

O dilema da oposição e o acerto de Lula

Até agora tudo corre bem no plano de Lula. Fez um pacto com as elites, em especial com o sistema financeiro, e continua enchendo as burras deles. Cumpriu a promessa de melhorar a vida dos pobres, mesmo que por meio das bolsas. Resultado: está bem com o topo da pirâmide, que o financia, e com a base, o povão que lhe dá os votos. De largada tem nas mãos praticamente a metade do eleitorado. Outra parte, com ajuda dos banqueiros, ainda consegue beliscar com farta campanha publicitária, distribuição de cargos e alguns agradinhos como isenções tributárias, abatimento de dívidas e por aí vai. Resultado: a oposição só ficou com a classe média, que na prática é quem financia essa zorra toda.

Sorte da oposição é que Lula ainda não conseguiu fazer decolar um nome para a sucessão. Com Dilma, Tarso, Jaques Wagner e Marta tá difícil. Resta Ciro Gomes como curinga. Só que duvido que o PT, e em especial Lula, vai embarcar nessa canoa. Ciro é velho conhecido por suas trairagens. Se abancando no poder vai chutar o pau da barraca. Mas Lula ainda tem tempo para "fabricar" um candidato.

Bom, mas quem quiser tomar o poder vai ter ultrapassar a barreira da classe média. A questão é prática e, infelizmente, boa intenção não basta. Discurso contra corrupção também não. Perguntar não ofende: Qual é o projeto da oposição para o Brasil?

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

TV Bra$il

Durante todo o ano de 2007, segundo o Portal da Transparência, a Radiobras gastou apenas R$ 22.785,00 com o cartão corporativo. E tudo em saques feitos por sete funcionários. Valor irrisório quando se fala em jornalismo que, vez em sempre, coloca repórteres em roubadas durante as coberturas.

Seria bom dar uma olhada se a TV Brasil, um dos braços da nova Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), que substituiu a Radiobras, está seguindo essa linha de gastar pouco.

Notícias dos bastidores do jornalismo dão conta que a situação é inversa. Dizem que a farra rolou solta durante o canarval, com direito a hospedagem nos melhores hotéis das capitais brasileiras. Tudo isso para inaugurar a linha Cultural da emissora. Estamos de olho.

Faça o seu cartão corporativo

Agora todo brasileiro pode ter seu cartão corporativo. Fiquei sabendo disso no Blog Coluna Extra, do amigo Alexandre Gonçalves, que por sua vez pescou a história no blog Querido Leitor. Resumindo é o seguinte: A página http://www.cartaocorporativo.com/ emite na hora seu cartão preferencial. Se não dá para gastar pelo menos vamos sacanear.

No blogblogs

O Botelheco está se cadastrando no blogblogs. Por isso, essa punhetação neste post. A burrocracia chegou até o mundo virtual. Fazer o quê, né? Taí a propaganda dos caras. BlogBlogs.Com.Br

Um abuso abominável

Um absurdo, verdadeira excrescência, essa liberalidade com a propaganda de cerveja. Em quase todo intervalo comercial lá estão aquelas gostosas se insinuando com um copo de gelada na mão, peitões a mostra e gotinhas escorregando pelas costas rumo àquela bundinha maravilhosa. Onde já se viu permitir esse tipo de comercial entre 6 e 21 horas. Apóio completamente essa campanha que visa acabar com a propaganda de bebidas ininebriantes nesse horário. Comercial de manguaça só depois das 9 da noite! Afinal, é uma puta sacanagem: o cara tá lá trabalhando, com a garganta seca e o chefe enchendo o saco. Aí vem aquela propaganda da gelada justamente numa hora que ele não pode dar um pulinho rápido no boteco. Isso é tortura, atenta contra os direitos humanos!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Desconhecimento ou jogo de cena?

As dezenas de parlamentares que sobem a tribuna da Câmara e do Senado para reclamar do sigilo nos gastos da Presidência da República precisam se informar melhor antes de falar besteira. Eles reclamam que o governo não divulga os critérios que adota para definir o que é ou não sigiloso. Cobram, de boca, uma satisfação do governo. Na verdade, eles tem prerrogativa para exigir isso na prática. Ou desconhecem a lei ou fazem jogo de cena.

Está lá, na lei que criou a Abin (9883/1999), que é competência do Congresso Nacional fiscalizar os atos da Agência e, entre eles, está essa função de decidir o que é ou não assunto secreto, sigiloso e de Segurança Nacional.

Diz a lei:

Art. 6º O controle e fiscalização externos da atividade de inteligência serão exercidos pelo Poder Legislativo na forma a ser estabelecida em ato do Congresso Nacional.

§ 1º Integrarão o órgão de controle externo da atividade de inteligência os líderes da maioria e da minoria na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, assim como os Presidentes das Comissões de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados e do Senado Federal.

§ 2º O ato a que se refere o caput deste artigo definirá o funcionamento do órgão de controle e a forma de desenvolvimento dos seus trabalhos com vistas ao controle e fiscalização dos atos decorrentes da execução da Política Nacional de Inteligência.


Portanto, cabe ao Congresso chamar os responsáveis pela decretação do sigilo e cobrar deles os critérios e as explicações detalhadas. Não adianta ficar choramingando na tribuna e posando de defensores da transparência. É preciso agir! De discursos, nobres excelências, já estamos cheios.

Se vocês não sabem, aí vai mais uma ajudinha: Quem decreta o sigilo de gastos e documentos é a Comissão de Averiguação e Análise de Informação Sigilosa, subordinada a Casa Civil. Ela foi criada a partir do decreto 5.301 de 2004 e da lei 1.111 de maio de 2005.

Então, digníssimos parlamentares, reativem a comissão e tratem de chamar Dona Dilma e os homens da Abin para se explicarem no Congresso.

Aos doidos por holofotes vai um aviso: Não adianta brigar por vaguinha nessa comissão. Ela é formada pelos líderes da oposição e do governo e pelos presidentes da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara e do Senado.

E agora? Vão chamar ou lá vem mais discurso?

Toca Raul


Genial essa charge do camarada Frank publicada no jornal A Notícia de hoje. Vou aproveitar para pedir a seguinte a música:


Trem das 7

( Raul Seixas )


Oi, oi o trem, vem surgindo de trás das montanhas azuis, olhe o trem

Oi, já é vem

Vem trazendo de longe as cinzas do velho Aeon

Oi, já é vem, fumegando, apitando, chamando os que sabem do trem

Oi, oi o trem, não precisa passagem nem mesmo bagagem no trem

Quem vai chorar ?

Quem vai sorrir?

Quem vai ficar?

Quem vai partir?

Pois o trem está chegando

Tá chegando na estação

É o trem das 7 horas

É o último do sertão

Oi, oi o céu

Já não é o mesmo céu que você conheceu não é mais

Vê, oi que céu

É um céu carregado, rajado e suspenso no ar

Oi, é o sinal das trombetas, dos anjos e dos guardiões

Oi, lá vem Deus

Deslizando no céu entre brumas de mil megatons

Oi, oi o mal

Vem de braços e abraços com o bem

Num romance astral ....

Amém.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Big Brother telefônico II

Ontem postei uma nota sobre o Lili.com, site de busca de telefones de todo o Brasil. Meu amigo Emerson Gasperin, o Tomate, alerta para a história cabulosa dessa página. Saiba mais.

Fidel é garantido e as cubanas caprichosas

Conheci Fidel Castro no dia 01 de janeiro de 2003. Dentro do Palácio, centenas de autoridades enfiadas em seus ternos de gala. O comandante destoava dos chefes de estado, ostentando a velha farda de guerrilheiro. Nas ruas, enfrentando um sol escaldantes, quase um milhão de pessoas se aglomerava.

Eu não estava em Havana e muito menos avistava a Sierra Maestra. Mas o ambiente lembrava, mesmo que de raspão, algo do comunismo. Me acotevelava com dezenas de jornalistas num "chiqueirinho" montado para a imprensa no salão verde do Congresso Nacional, obra do comunista Oscar Niemeyer, amigo pessoal do comandante. Era posse de Lula, a chance da esquerda no Poder no maior país da América Latina. E o companheiro Fidel, é claro, não deixaria de comparecer.

Após a discurso de posse no Congresso Nacional, um Lula sorridente e eufórico desliza pelo tapete vermelho, de braços com Marisa Letícia, rumo ao Palácio do Planalto. Em seguida, a comitiva dos chefes de estado. Lá vem Menen, Hugo Chavez e, mais afastado, Fidel Castro.

Confesso que a passagem de Fidel, independente de minha concordância ou não com o regime ditatorial imposto por ele na Ilha de Cuba, incentivou meu lado subversivo.

Foi o que fiz. Levantei a fita do cercadinho da imprensa por cima da cabeça e me adiantei ao meio do tapete vermelho já pronto para levar uns safanões da segurança. Ladino, como só um manezinho da ilha pode ser, calculei a manobra milimetricamente. Ao irromper no tapete fiquei postado a um metro do líder cubano. Fui logo saudando:

_ Comandante!

Fidel foi com minha cara. Colocou a mão em meu ombro, o que afastou de imediato a meia dúzia de seguranças, me olhou nos olhos e perguntou:

_ Qué quieres, compañero?

Somente neste momento é que fui pensar o que lhe perguntaria. Na verdade, não havia pensado nisto antes. O pulo do cercadinho foi algo instintivo. O fato é que, nesse exato momento me deu um branco, daqueles que põe no chão a auto-estima de qualquer jornalista.

Mas foi justamente o chão que me salvou. Baixei a cabeça para sacar uma pergunta e percebi que Fidel não usava o velho coturno. Calçava um tenis preto, que parecia bem confortável. Foram cinco segundos, no máximo, até que eu levantasse e cabeça e dirigisse a Fidel um questionamento que, se feito em Havana, me traria sérios problemas.

_ Comandante, este seu tênis é Nike?

Fidel riu, colocou novamente a mão sobre meu ombro e iniciou novamente a caminhada, convidando-me para acompanhá-lo. Começou a falar do tênis, que era feito em Havana por um grupo de senhoras muito competentes, numa produção quase que artesanal. Aí emendou dizendo que a peça era um exemplo da resistência de Cuba ao embargo comercial norte-americano.

Nessa altura, o comandante já estava cercado de jornalistas que, obviamente, não deixariam de aproveitar a brecha aberta por Fidel. E, pacientemente, ele foi respondendo as perguntas, falou da importância da posse de Lula para a esquerda mundial, do que esperava do governo dele, malhou o pau nos Estados Unidos, elogiou Hugo Chavez...

Na porta de saída do Congresso os seguranças acabaram com a revolução da pena. Fidel seguiu rumo ao Planalto cercado pelos seguranças e pisando firme no tapete vermelho com o melhor tênis do mundo. Afinal, momentos antes, ao me responder sobre a qualidade do tênis, disse:

_ La garantía soy yo!

Não discuti, é claro.