sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

TV Bra$il

Durante todo o ano de 2007, segundo o Portal da Transparência, a Radiobras gastou apenas R$ 22.785,00 com o cartão corporativo. E tudo em saques feitos por sete funcionários. Valor irrisório quando se fala em jornalismo que, vez em sempre, coloca repórteres em roubadas durante as coberturas.

Seria bom dar uma olhada se a TV Brasil, um dos braços da nova Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), que substituiu a Radiobras, está seguindo essa linha de gastar pouco.

Notícias dos bastidores do jornalismo dão conta que a situação é inversa. Dizem que a farra rolou solta durante o canarval, com direito a hospedagem nos melhores hotéis das capitais brasileiras. Tudo isso para inaugurar a linha Cultural da emissora. Estamos de olho.

7 comentários:

Ricardo Rayol disse...

se um dia cair este governo o herdeiro irá ter um trabalho miserável para desmontar esse aparelho petista.

Cisne Negro disse...

Caraca!!
Esse negocio quando mais se mexe....
E o Lula como sempre não sabe de nada...

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Botelho disse...

É a primeira vez que excluo um comentário. Porém, não dava para deixar uma malhação em cima de um cara, num texto longo, postado por um anônimo e ainda chupada de outro blog. Tudo bem que o blog citado está até nas minhas recomendações, mas daí a sair desqualificando profissionalmente uma pessoa por suas convicções políticas acho demais. Até porque um direitão pode ser um grande humanitário e um esquerdista um grande empresário. Se o comentário estivesse assinado eu até deixaria. Fora disso vou deletar mesmo.

Anônimo disse...

Botelho, para começar, o seu blog como tantos outros da o direito para quem opine escrever anonimamente, por isto estou exercitando este direito de tantos outros comentarios.

A respeito do comentario excluido, a intençao foi informar de uma situaçao obvia e de interece publico, que por meios normais ninguem fica sabendo dos apadrinhamentos seja de que lado for, mas fica aqui só esta explicaçao do porque que enviei o comentario "cortado".
Fica aqui tambem dito, que o texto enviado por mais que clalifiquem como longo, ele ao menos cumpriu o seu papel de informar, só mente informar, que os leitores dessem sua opiniao, pois lá nao consta que eu saiba nada ofensivo, só informa dos apadrinhamentos e a linha de pensamento daquele que esta sendo contratado inclusive sem "concurso publico", e inclusive para este cargo.

Acho até que serviu para que vc mesmo cortando o "texto", ter conhecimento de como anda os bastidores destas "contrataçoes" sem "concurso publico" e alinhada a um só pensamento.
Coisa que pra uma empresa publica eu acreditava que deveria ser eticamente plural e sem vinculos partidarios seja de que lado for.

Botelho expresso aqui meus cumprimentos pelo seu blog, e obrigado por sua atençao.

Anônimo disse...

Preciosa a li�o de Beccaria, ditada h� mais de 230 anos:

"Enquanto o texto das leis n�o for um livro familiar, como um catecismo, enquanto elas forem redigidas em l�ngua morta e n�o conhecida do povo, e enquanto forem de maneira solene mantidas como or�culos misteriosos, o cidad�o, que n�o puder aquilatar por si pr�prio as conseq�ncias que devem ter os atos que pratica sobre a sua liberdade e os seus bens, estar� dependendo de pequeno n�mero de homens, que s�o deposit�rios e int�rpretes das leis".

Botelho disse...

Estimado anônimo,

Não sejamos inocentes. Se qualquer governo puder contratar sem concurso vai dar emprego para os alinhados com seu pensamento. Isso vale para o PT, PSDB, DEM, PMDB (se é que esse partido tem pensamento) e demais. Numa TV, óbvio, ainda mais. É um ruim? Sim, é péssimo. Mas é a realidade. Não é a toa que o Lula contratou o Franklin e a Teresa Cruvinel. E, pelo mesmo motivo, tratou de se livrar do Eugenio Bucci. Então, meu caro, o problema não está nos contratados, mas sim em quem contrata. E, foi por esse motivo, que cortei seu comentário. O que deveriamos trabalhar é para evitar, cada vez mais, esse tipo de contratação "por afinidade". Em empresa privada isso é normal, mas se tratando de "público", com o nosso dinheiro, as oportunidades devem ser iguais. Nisso eu fecho contigo. Ah, malhar o Reagan é sempre bom.

Ps: Postar comentários como anônimo é uma opção do provedor e não minha. Se eu cortar isso, vou ter que ler os comentários antes de liberar. Não acho isso legal. Mas, pensando bem, anônimo é um bom pseudônimo. Fique a vontade.